Marketplace de nicho pode trazer mais lucro?

marketplace de nicho pode trazer mais lucro

Havia um tempo em que e-commerce não era sinônimo de plataforma virtual em que diversas pessoas vendem seus produtos. Cada empresa precisava ter sua própria lojinha, o que por um lado dificultava um pouco o esforço de marketing e por outro criava lojas mais independentes, com seu próprio público e marca. Claro que esses modelos “independentes” ainda existem e têm sucesso, mas são apenas uma das tantas possibilidades para os negócios digitais.

Então, os marketplaces generalistas chegaram com tudo no Brasil e se tornaram gigantescos, o que torna bastante difícil a concorrência com esses grandes players, levando as pequenas lojas já diretamente para as grandes plataformas. Afinal, os clientes já estão por lá, tornando a tração inicial mais fácil.

Em uma analogia ao off-line, é como abrir uma loja em shopping: existem os custos do intermediário, mas também há garantias quanto a segurança, fluxo de pessoas, entre outras facilidades.

Ainda dentro das plataformas, podemos encontrar um bom equilíbrio entre os dois mundos nos marketplaces nichados: um bom fluxo de clientes, segurança nas transações financeiras, uma marca forte e bem difundida entre o público etc. – com um diferencial extra: as pessoas sabem que tipo de produto encontrarão se forem especificamente àquele site.

Aliás, quando falamos em nicho, não estamos necessariamente falando em algo pequeno, restrito. Existem nichos de diferentes tamanhos, mais ou menos específicos. Para citar um primeiro exemplo de nicho, temos plataformas que reúnem artesãos para vendas on-line: Etsy, empresa americana fundada em 2005, e Elo7, empresa brasileira fundada em 2008. Nesse conceito verticalizado, temos outros exemplos de marketplaces: AirBnb, iFood, Uber…

Na outra ponta, podemos falar dos e-commerces que já eram gigantescos e passaram a oferecer uma plataforma de marketplace para pessoas que gostariam de vender produtos sob a sua marca. No Brasil temos o exemplo da Centauro, cujo marketplace é voltado à venda de calçados, roupas, acessórios e equipamentos para a prática de esportes.

Portanto, quando pensamos em aumento de lucros, é possível ver como atuar em espaços on-line nichados podem beneficiar as empresas: as pequenas, por meio de uma plataforma pronta para as primeiras vendas a um custo de entrada acessível; e as grandes, pela possibilidade de transformar a própria marca num grande hub de vendas para determinado segmento em que já se atua.

Enfim, o modelo de negócios baseado em marketplace é bastante vasto e com certeza ainda há muito ainda que se explorar dentro dele. Para isso, é importante que os empreendedores estejam atentos às oportunidades disponíveis tanto para quem ainda é pequeno quanto para quem já tem certa escala e deseja se tornar exponencial.

Por: Orlando Ovigli – Sócio e VP de Omnicommerce do Grupo FCamara

Veja também:

Os desafios do e-commerce para indústrias e como elas podem superá-los

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *