Interoperabilidade na saúde revoluciona o atendimento ao paciente

interoperabilidade-na-saude-fcamara

A interoperabilidade na saúde tem ganhado destaque nos hospitais, laboratórios e instituições de saúde. Da mesma forma, tem revolucionado o setor e aprimorado a qualidade dos serviços prestados.

Primeiramente, a interoperabilidade é a capacidade de diferentes sistemas trabalharem juntos. Tanto de forma integrada quanto processando informações de várias fontes. 

No setor de saúde, por exemplo, isso significa que vários registros eletrônicos de saúde (EHRs) podem compartilhar dados entre si. Assim, é possível reduzir custos e melhorar a experiência dos pacientes. E, do mesmo modo, otimizar a rotina dos profissionais. Isso porque os dados de saúde são sensíveis. 

Dessa forma, exigem protocolos de segurança rígidos para seu compartilhamento. Contudo, ao mesmo tempo, são fundamentais, podendo inclusive salvar vidas. Nesse cenário, a interoperabilidade resolve esse impasse e proporciona a acessibilidade segura das informações. 

Segundo o diretor da vertical de saúde do Grupo FCamara, Marcos Moraes, a interoperabilidade também é uma preparação para o Open Health. “As instituições de saúde que desde já se anteciparem e garantirem uma boa interoperabilidade estarão à frente para o Open Health”, disse.

3 benefícios da interoperabilidade na saúde

De acordo com o especialista, a interoperabilidade gera benefícios para todos os envolvidos no ecossistema de saúde. “Mais do que uma necessidade para se posicionar à frente no mercado, é um recurso que a tecnologia proporciona. E, como resultado, deve ser explorado para elevar a qualidade dos serviços, beneficiando vidas”, comentou.

A seguir, confira três grandes vantagens:

#1 Aprimorar o atendimento e a experiência do paciente

Atualmente, a interoperabilidade na saúde permite facilitar o atendimento do paciente. Isso porque é possível acessar prontuário médico, laudos, exames, entre outros dados, em um único lugar. Dessa forma, o paciente ganha autonomia no gerenciamento dos seus dados. Sendo assim, a experiência também é melhorada. 

#2 Melhorar a comunicação entre a equipe médica e o paciente

Outro benefício é a melhorar a comunicação entre os profissionais de saúde. Afinal, eles são capazes de compartilhar as informações dos pacientes. Com os dados em mãos, os profissionais ganham produtividade. Do mesmo modo, conseguem diagnosticar problemas com mais assertividade.

#3 Ter mais segurança de dados

A segurança dos dados é uma questão crítica na área da saúde. Nesse  sentido, a interoperabilidade ajuda a aumentar a proteção de dados compartilhados, dentro de regras que garantem o consentimento dos pacientes.

Sendo assim, garante que somente o pessoal autorizado tenha acesso às informações dos pacientes. Além disso, mantém a confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações. 

Conclusão

Em suma, a interoperabilidade integra processos para diminuir o tempo de acesso à informações críticas. Também ajuda a melhorar a tomada de decisão dos profissionais de saúde no tratamento dos pacientes.

Hoje, os provedores de tecnologia podem ajudar na implementação da interoperabilidade. Há 14 anos no mercado, o Grupo FCamara tem know-how para efetuar as migrações e integrações de sistemas necessárias para permitir a implementação bem-sucedida do ecossistema de Open Health. Para saber mais sobre o assunto, fale com um consultor clicando aqui.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.