Marketplace: Conheça os benefícios deste modelo do varejo

Desmistificando o marketplace: conheça os benefícios deste modelo de varejo digital

Saiba como marketplace cresce a cada ano no Brasil e tem atraído cada vez mais empreendedores

header-post-blog-marketplace

O varejo digital cresce cada vez mais no Brasil. Além dos e-commerces, outro protagonista desse sucesso são os marketplaces, que têm conquistado uma importante fatia de mercado quando dos negócios digitais. 

Mas, ainda existem algumas incertezas quanto a investir em uma plataforma de marketplace. Uma pesquisa da Ebit|Nielsen em parceria com a Elo, divulgada em 2020, mostra que 78% do faturamento do e-commerce brasileiro vem de marketplaces. Mas o mesmo estudo mostra que 32% dos consumidores ainda não sabem o que significa a palavra marketplace.

Você sabe dizer o que é marketplace e como ele pode ajudar os negócios e as vendas digitais a prosperarem? Vamos desmistificar esse assunto neste artigo.

O que é o marketplace

O marketplace é um modelo de negócio que foca em colaboração. São lojas virtuais que mediam a relação entre compradores e vendedores, sem a obrigação de possuir estoques ou gerir processos de entrega. O grande objetivo de um marketplace é aumentar o faturamento e a visibilidade da marca. 

Nessas plataformas digitais, o modelo funciona como um shopping center virtual. O consumidor interessado em adquirir algum produto ou serviço pode realizar pesquisas, procurar ofertas, consultar a disponibilidade do que deseja, fazer a encomenda e efetuar o pagamento. As transações financeiras são processadas pelo operador do marketplace, que fica responsável por repassar a porcentagem combinada do valor das vendas para o lojista. 

Enquanto isso, o armazenamento dos produtos e a logística de entrega ficam a cargo da empresa que ofertou os produtos no marketplace. A Amazon, a Uber e o Ifood são exemplos de marketplaces bem-sucedidos que desenvolveram suas plataformas e construíram uma parceria com vendedores e/ou prestadores de serviços para alavancar os negócios.

Diferente de um e-commerce tradicional, onde o operador do site é o único vendedor, no marketplace são inúmeros vendedores que podem, inclusive, colocar à venda produtos iguais a preços distintos para potenciais consumidores. Em troca, esses lojistas pagam uma comissão, seja fixa ou variável, sobre cada produto que foi vendido. 

Para os empreendedores que possuem uma loja virtual, transformar o negócio em um marketplace é interessante para possuir variadas fontes de receita, ganhar visibilidade para a marca e escalar a operação de forma eficaz, além de ampliar o alcance das ofertas, o volume de visitas e o faturamento, diminuindo os custos com estoque. Outro fator que merece destaque é a variedade de produtos ofertados. Eles estimulam a compra, é mais fácil fidelizar os clientes e aumenta o ticket médio da loja. 

E por falar em ticket médio, vale ressaltar que o valor só tem crescido nos últimos anos.  Dados divulgados pela Neotrust mostram que, no primeiro trimestre de 2021, a média gasta foi de R$ 447,90, o que significa um aumento de 9,4% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Qual o cenário do marketplace no Brasil

Investir em marketplace no Brasil é seguir a forte tendência de estar presente no ambiente digital, que se tornou ainda mais uma necessidade para a sustentabilidade e competitividade das empresas. 

Todos os negócios foram afetados desde o começo da pandemia, quando medidas de isolamento foram adotadas para conter o avanço da Covid-19. E-commerces e marketplaces surgem baseados na necessidade de se ajustar a um cenário incerto, como forma de expandir os canais de vendas e se conectar ao público. Diante dos desafios de manter a economia funcionando ao mesmo tempo em que os hábitos de consumo mudam, intensificaram a rapidez na adoção de modelos de negócios digitais, entre eles, os marketplaces foi o que mais se destacou. Prova disso é que foram responsáveis por 78% do faturamento do e-commerce brasileiro e totalizaram R$ 30 bilhões de lucro nos seis primeiros meses de 2020, isto é, 56% a mais sobre o mesmo período de 2019, de acordo com a 42ª edição do relatório Webshoppers feito pela consultoria Ebit | Nielsen.  

Outro dado interessante é que, entre abril de 2020 e março deste ano, os sites de e-commerce brasileiro tiveram 20,61 bilhões de acessos, segundo um estudo realizado pela agência Conversion. Apenas março de 2021 registrou um aumento de 40% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Quando o assunto é aquisição de produtos nessas plataformas digitais, nos três primeiros meses do ano foram contabilizadas 78,5 milhões de compras online, um aumento de 57,4% em comparação ao mesmo período do ano passado. Esse grande volume de compras resultou em um faturamento de R$ 35,2 bilhões para o e-commerce.

Em suma, o mercado de marketplace está aquecido e continua em intenso desenvolvimento. O cenário é promissor para novos players e apostar em soluções de negócios de plataforma é importante para gerar valor, captar mais clientes e vender mais.

Quais são as vantagens para o cliente, o vendedor e o operador do marketplace?

Entre as grandes vantagens das plataformas de marketplace, uma delas é que é um modelo de negociação ganha-ganha-ganha, ou seja, todos os envolvidos (comprador, lojista e operador de marketplace) possuem benefícios. 

O consumidor ganha ao ter à disposição o maior leque de produtos e serviços em um só lugar, com preços mais competitivos, bem como consegue comprar de diferentes vendedores por meio de uma única transação.

Enquanto isso, o vendedor oferta o seu catálogo em um ambiente com elevado tráfego de clientes e alta probabilidade de vendas e só precisa se preocupar em atender bem o comprador, pois toda a gestão da plataforma e a aquisição dos consumidores fica por conta do gestor do marketplace. Isso é um excelente benefício para o seller, que não teria muitos acessos em uma loja virtual própria, ganhar visibilidade e reduzir custos com marketing e publicidade.

Já o marketplace também ganha, pois, ao controlar toda a operação, o gestor da plataforma tem acesso a todos os dados das transações, desde quais produtos e serviços estão sendo mais procurados até quais regiões e tipos de clientes têm maior demanda. Todas essas informações ficam armazenados na plataforma, possibilitando uma gestão data driven

Com essas métricas em mãos, é possível captar dados capazes de direcionar a estratégia da cadeia de negócios e mapear melhores práticas e problemas que possam afetar o desempenho das vendas e prejudicar a operação.

Serei concorrente do meu parceiro: mito ou verdade?

Esse é um dos principais mitos apontados pelas empresas. Na realidade, os marketplaces estão entre os espaços mais democráticos da internet e qualquer pessoa pode vender o que quiser, para quem desejar e pelo preço que achar justo.

Por esse motivo, o marketplace permite fazer a venda ao consumidor final sem quebrar a rede de distribuição. É recomendável buscar qualificar todos os sellers e medir a qualidade do serviço de cada um, sempre priorizando os requisitos internos. Assim, você consegue gerenciar uma grande quantidade de vendedores e obter um amplo catálogo de produtos, já que é a sua marca que está validando a mercadoria e a credibilidade do seller

Em termos mais simples, não há espaço para concorrência. Afinal, a marca é quem determina os parâmetros como melhor preço desta “competição”. Os vendedores contribuem para o ecossistema do seu marketplace e geram lucros, criando produtos, gerenciando pedidos, oferecendo frete competitivo e uma boa experiência ao cliente. 

As plataformas de marketplace precisam de altos investimentos?

Agora que você chegou até aqui, já sabe que o marketplace é um negócio escalável e deve estar se perguntando se é caro transformar uma loja virtual em uma plataforma desse modelo.

 Levando em consideração que qualquer negócio exige investimento, o aconselhável é fazer um planejamento financeiro e ter em mente todos os custos com contabilidade, jurídico, marketing e ferramentas. O marketplace é um negócio com retorno de médio a longo prazo.Apesar de não ser um negócio com retorno a curto prazo, vale a pena investir e traçar estratégias para atingir o faturamento ideal.  

Como o marketplace precisa ser focado no usuário, o core business deve ser tecnologia e usabilidade. Por isso, o site tem que ser rápido, responsivo e oferecer uma jornada de compra fácil ao consumidor. Nesse sentido, desenvolver do zero um marketplace pode ter alto custo financeiro e longo tempo de desenvolvimento. Para quem quer praticidade, uma opção é usar uma plataforma pronta de marketplace, como a da OmniK, que torna o investimento mais acessível e eficiente.

Quero montar meu marketplace. Qual plataforma devo escolher?

Tendo como propósito transformar negócios de qualquer segmento em marketplaces ágeis e escaláveis, a OmniK, empresa do Grupo FCamara, oferece uma solução completa e customizável para acelerar a inserção das empresas nos negócios de plataforma

Desde 2019, a startup atende diversos mercados em busca de promover a inovação no varejo e a transformação digital nos negócios. 100% SaaS e White Label, a plataforma de gestão de marketplace possui dois diferenciais: um seller center com módulos completos para realizar a gestão do marketplace de ponta a ponta em um único portal, desde o onboarding do lojista, a gestão do catálogo do vendedor, o acompanhamento e a gestão de pedidos até o pós-vendas e a gestão financeira. 

A outra vantagem é que a plataforma é escalável e customizável, sendo capaz de se adequar a diferentes modelos de negócios e se tornar atrativa financeiramente, tanto para pequenos quanto grandes negócios de diferentes mercados. Entre os clientes da OmniK, estão a Loja do Mecânico, Onstores, Le Biscuit e Running Land (Ativo). 

E aí, que tal transformar o seu negócio em um marketplace? A OmniK pode orientar na condução dessa estratégia e desenvolver o modelo ideal para a sua empresa. Para isso, clique aqui e agende um horário com algum consultor.

Webinar discute os rumos do marketplace no Brasil. Inscreva-se!

Se você ficou com alguma dúvida ou quer desbravar os negócios de plataformas, a boa notícia é que a OmniK vai promover o webinar gratuito “Evolução do marketplace no Brasil e as soluções para as lojas virtuais em Adobe Commerce Cloud”, em parceria com o Grupo FCamara e a Adobe. 

O evento, marcado para o dia 13 de julho, às 10h, no Zoom, terá a participação do Partner & VP do Grupo FCamara, Orlando Ovigli, do CEO da OmniK, Thiago Coelho, e da General Manager da Adobe Commerce, Stella Guillaumon. Faça sua inscrição, gratuitamente, clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saiba como marketplace cresce a cada ano no Brasil e tem atraído cada vez mais empreendedores