Como as APIs abertas podem revolucionar os setores financeiros e de seguros?

Como as APIs abertas podem revolucionar os setores financeiros e de seguros?

O conceito principal de Open Insurance é a combinação de arquiteturas de APIs abertas aplicadas a aplicativos de seguros. Portanto, API é uma tecnologia que fornece integração entre diferentes sistemas e pode aprimorar as práticas de Open Insurance.

É importante lembrar que API significa Interface de Programação de Aplicativo, que é um conjunto de padrões de programação que pode ser usado para construir, usar e integrar aplicativos de maneiras sutis sem que o usuário perceba. Funciona por trás de todas as funções, ou seja, enquanto o usuário usufruir de determinada função, a API pode ser conectada a vários outros sistemas e aplicativos sem danificar ou afetar outras funcionalidades. 

Essas APIs podem ser classificadas como abertas ou privadas. Os direitos de acesso aberto podem ser usados ​​gratuitamente ou limitados a um certo número de direitos de acesso, enquanto os direitos de acesso privado são desenvolvidos para uso exclusivo das empresas. 

Existem vários serviços que permitem que seu código seja usado em outros sites. Pense no Google Maps como o exemplo mais claro de uma API aberta: diferentes páginas ao redor do mundo estão usando seus recursos para adaptar o código original às suas necessidades. 

As APIs permitem que desenvolvedores de software e aplicativos se conectem a diferentes tecnologias, como bancos de dados diferentes. Essas interfaces são como pontes, conectando diferentes aplicativos, que podem ser utilizados para os mais diversos tipos de negócios, em diferentes mercados e independente do porte da empresa. 

A troca de dados fornecida pela API é feita com alto grau de segurança e é garantida por meio de um portal no qual apenas um conjunto específico de informações definidas pela empresa proprietária está disponível. 

Por exemplo, a API é considerada a chave para o processo de transformação digital dos bancos. Permitem a ligação de sistemas de diferentes empresas, facilitando a execução das transações de forma automatizada e segura. Entre outros aplicativos, é o que permite aos correntistas acessar suas informações bancárias por meio de aplicativos de outras empresas, não apenas do próprio banco. 

Essas inovações também permitem que as violações cheguem às seguradoras por meio do Open Insurance. O mercado conservador, sujeito a fraudes e estritamente regulamentado é, sem dúvida, um dos mercados mais surpreendentes para as práticas de inovação aberta. 

Um exemplo? A Lemonade é um bom caso de empreendedorismo que já tirou proveito de uma estratégia do Open Insurance. A empresa tem como objetivo tornar as práticas que envolvem o mercado de seguros tão simples e conectadas quanto assistir a um filme em um aplicativo de streaming. 

Fim do ano passado, a Lemonade lançou o seu API público, que permite a qualquer empresa oferecer seguros em um aplicativo, a partir da interface por ela desenvolvida. 

O processo de fornecimento de seguro em um aplicativo pode levar vários anos, pois é necessário coletar as licenças, tecnologia e fundos necessários. O lançamento da API Lemonade visa facilitar e simplificar esse processo, pois pessoas com um pouco de conhecimento de codificação podem adicionar esses recursos aos seus aplicativos em poucas horas. 

Conclusão 

No mundo cada vez mais digital, as seguradoras precisam descobrir como gerenciar as enormes quantidades de dados gerados por seus negócios. O gerenciamento de dados é o foco estratégico de toda a empresa, não apenas do departamento de TI. 

Também é preciso descobrir como extrair insights valiosos de grandes quantidades de dados, que geralmente são armazenados em vários lugares. 

As APIs podem ajudar as seguradoras a abrir suas fontes de dados; coletar dados de vários lugares e compartilhá-los com várias fontes, mesmo com terceiros. Isso permite que eles compartilhem informações entre plataformas digitais e ecossistemas. 

Como observamos no texto, houve grandes avanços nessa direção. O compartilhamento de dados relacionados a seguros pode aumentar, permitindo assim que as seguradoras e os desenvolvedores obtenham mais informações em um período menor. No sentido de autonomia, também é interessante escolher parceiros e assim realizar ações mais independentes. 

No entanto, reduzir as barreiras restantes é muito importante para permitir o acesso a dados que podem levar anos para se acumular ou exigir altos custos de produção. 

Do ponto de vista da implementação de APIs, empresas que não são totalmente abertas podem restringir a concorrência, especialmente no caso de pequenas e médias empresas. 

Permitir a realização de compartilhamento de dados e API aberta significa criar novos canais de negócios competitivos, inovar produtos, expandir a base de clientes e melhorar a experiência do usuário. 

Portanto, podemos concluir que as seguradoras que estiverem dispostas a adotar novas soluções e puderem tomar decisões mais rápidas, terão uma vantagem absoluta no mercado. No entanto, isso só acontecerá na velocidade desejada quando estimularmos as grandes seguradoras a desenvolver e incorporar recursos inovadores oferecidos pelos concorrentes a partir de suas startups, que são mais abertas ao Open Insurance. 

Você e sua empresa estão preparados para a era Open Insurance? Não há tempo a perder! Que tal conversar com os nossos experts em mercado segurador para pensarmos juntos em soluções para 2021? Entre em contato.



Leia também o conteúdo: Open Insurance: tudo o que você precisa saber e como ele funciona

apis abertas seguros

apis abertas seguros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *