5 perguntas e respostas sobre carteiras digitais

carteira digital

As carteiras digitais certamente não são uma invenção de 2021, mas nesse ano tudo que era relativo ao consumo digital se exponencializou de formas inimagináveis – 45% das pessoas que fizeram compras em e-commerce entrevistadas pela Statista revelaram ter usado um meio de pagamento on-line. Dados da pesquisa Generation Pay, da FIS Global, analisam a questão do ponto de vista geracional e apontam que todas as faixas etárias usam carteiras digitais, destacando os millennials, com 44% de aderência a esse meio de pagamento.

As carteiras digitais, aliás, já vinham ganhando destaque na estratégias de negócios das grandes varejistas brasileiras, até mesmo ganhando o mundo off-line por meio de promoções especiais para quem as usasse nas mais diversas situações da vida: compras em farmácia, pagamento da conta do happy hour no bar, descontos em lojas físicas, entre outras. Acompanhando as gigantes nesse mercado, temos ainda as fintechs – algumas inclusive começaram como carteiras digitais e caminham para transformar-se em contas digitais ou até mesmo bancos digitais mais completos.

carteira digital

Do lado do usuário as vantagens são conveniência, descontos e segurança. Do lado das empresas que as oferecem, o intuito é diminuir as barreiras para a conversão e entender comportamentos de consumo por meio dos dados gerados a cada transação, abarcando até mesmo quem ainda não tem conta em banco. Para explicar melhor esse cenário, separei 5 perguntas e respostas sobre carteiras digitais neste artigo.

1 – Carteiras digitais são só para quem usa cartão de crédito?

Não. Assim como sua contraparte “analógica”, a carteira digital pode carregar diferentes meios de pagamento. Embora um grande apelo desse meio de pagamento seja a guarda segura dos dados do cartão de crédito para uso mais prático e sem contato, as carteiras digitais não necessariamente funcionam apenas com serviços de crédito. É possível usá-las de forma pré-paga, ou seja, inserir créditos usando outros meios de pagamento, como PIX para quem tem conta em bancos ou boleto para quem não tem conta.

2 – O que as carteiras digitais têm a ver com as grandes empresas que fabricam celulares?

As carteiras da Google, da Apple e Samsung ajudaram a difundir o conceito desse meio de pagamento para muitas pessoas, já que todos têm à mão um smartphone. No entanto, elas são bastante conectadas aos aparelhos vendidos por essas empresas (ou ao sistema operacional, como no caso da Google com o Android), por isso são chamadas de mobile wallets. Uma das funções diferenciadas que elas oferecem é a possibilidade do pagamento em estabelecimentos físicos, por aproximação com a tecnologia NFC ou QR code. Assim, por mais que elas tenham muita contribuição em apresentar a ideia para as pessoas, não são as únicas formas de carteiras digitais existentes, já que hoje é possível encontrar nesse mercado desde fintechs até varejistas.

3 – Como as carteiras digitais melhoram a experiência do usuário?

Varejistas ou prestadores de serviços sempre devem primar por uma estratégia: tornar o movimento de compra mais fácil e rápido para o cliente. Quanto menos passos, quanto menos formulários para preenchimento, melhor, já que isso pode definir se a pessoa desistirá no meio do processo de checkout ou não. As carteiras digitais, no e-commerce, têm o poder de centralizar a guarda de dados muito sensíveis para os usuários, que são seus dados de cartão de crédito e até saldos obtidos por meio de transferências. Elas dão maior segurança de que essas informações não serão compartilhadas indevidamente e ainda agilizam todo o processo. No mundo off-line, geralmente possibilitam compras sem contato com um ticket maior do que o oferecido para cartões contactless, por exemplo. 

4 – Pagamentos por meio de carteiras digitais precisam oferecer descontos?

Não necessariamente, embora seja um grande argumento de vendas quando se quer que o usuário use uma carteira específica. É possível ao varejista até mesmo criar parcerias ou receber ele próprio descontos nas taxas de determinada empresa que gerencia esses pagamentos. Assim, as vantagens aos clientes que usam carteiras digitais podem ser uma forma de gerar aquela primeira venda que tornará essas pessoas clientes fiéis da sua loja. Descontos, cupons para próximas compras, cashback, programas de fidelidade são apenas algumas das possibilidades para quem quer tirar proveito das carteiras digitais.

5 – E se eu quiser ter uma carteira digital própria?

O bank as a service já é uma realidade. Dito isso, existem opções de carteiras digitais white label, ou seja, estruturas prontas para implementação que levam uma camada de personalização da sua marca para os seus clientes. É possível também começar o desenvolvimento do zero, com a vantagem de que tudo é otimizado para fazer aquilo que você quer oferecer aos clientes e nada mais, no entanto, os custos podem ser uma barreira para negócios em fases iniciais. O importante, nesses casos, é encontrar um parceiro especialista que ajude a analisar o seu cenário e indique a melhor opção com base nos seus dados e no seu potencial de expansão.

Conheça mais sobre carteiras digitais em nosso vídeo com o Head de Setup e Delivery do Grupo FCamara:

***

Agora, é sua vez de responder: você costuma usar carteiras digitais? Se sim, qual?

Por: Orlando Ovigli – Sócio e VP de Omnicommerce do Grupo FCamara

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *