Categorias me nu
X

categorias

X
Como a internet das coisas está reinventando o setor de varejo?
Home / Categorias / Gestão e Negócios

Como a internet das coisas está reinventando o setor de varejo?

por FCamara | 9 de dezembro de 2016 | Gestão e Negócios

Não restam dúvidas de que a Internet das Coisas chegou para ficar. Afinal, essa deixou de ser somente uma tendência e virou uma realidade. E, dentro das milhares de oportunidades que o universo da Internet das Coisas (ou IoT) tem a oferecer, não faltam oportunidades para o setor do varejo.

Esse conjunto de tecnologias surge para oferecer diferentes experiências aos clientes ao mesmo tempo que otimiza os processos do setor varejista. Logo, a IoT tem o poder de proporcionar ao mercado a oportunidade de coexistir e competir com o mundo online das compras.

Interessado em saber como a Internet das Coisas pode oferecer ainda mais vantagens e competitividade ao varejo? Acompanhe este post!

Como a Internet das Coisas pode mudar o varejo

A Internet das Coisas nada mais é do que uma numerosa quantidade de objetos e dispositivos do dia a dia conectados à internet e se comunicando e trocando informações entre si. Muitos desses dispositivos são equipados com Wi-Fi, tornando fácil a integração dos aparelhos com a rede corporativa varejista.

Para que a adoção dessas modernas tecnologias seja efetiva, é preciso que as organizações contem com uma arquitetura potente de rede sem fio, capaz de sustentar com qualidade todas as conectividades.

Além disso, as empresas também devem estar cientes da necessidade de buscar soluções que suportem com segurança todos os dados e informações dos usuários e do próprio estabelecimento.

Com essas considerações tomadas, os varejistas só tendem a ganhar com a instalação da IoT em suas dependências, pois essas tecnologias podem oferecer aos gestores dados baseados na experiência do usuário para a otimização dos layouts das lojas.

As melhorias fazem com que o comprador sinta maior identificação com a loja, já que suas preferências passadas são consideradas e utilizadas para criar uma interação que proporcione a ele compras personalizadas.

É possível também oferecer aos clientes a facilidade de pagamento (checkout) completamente automatizado, sendo necessário apenas a inserção dos dados do cartão, como nas compras online.

Outro ponto positivo para o comerciante é a integração dos dados do cliente com o sistema de CRM. Isso permite um instantâneo feedback do consumidor e uma ação ainda mais rápida por parte do varejista.

A Internet das Coisas pode ainda auxiliar o varejo a ter uma gestão de estoque mais efetiva, uma vez que os códigos de barras das etiquetas são registrados na venda e essa informação se comunica diretamente com a disponibilidade ou falta do produto nos depósitos.

Inovações como essas poderiam melhorar os modelos de negócio e conceder aos varejistas otimização na produtividade, redução de custos e crescimento dos lucros. Essas expectativas otimistas preveem que o uso da IoT no varejo pode ter uma influência econômica na casa dos bilhões de dólares por ano a partir de 2025.

Uso da IoT

No varejo físico, a IoT aparece como uma oportunidade de oferecer aos consumidores experiências personalizadas encontradas no comércio eletrônico. Ao implementar a Internet das Coisas, as lojas podem personalizar e tornar o relacionamento com o comprador mais pessoal, proporcionando a mesma sensação de quando ele realiza compras online.

Por exemplo, logo que o cliente entra na loja, pode receber no seu smartphone (conectado ao Wi-Fi local) uma mensagem de boas-vindas do estabelecimento. A companhia pode também enviar promoções e informações de produtos que o próprio cliente já tinha pesquisado na web.

Dessa maneira, a empresa cria um atendimento diversificado e ajuda o consumidor a escolher produtos com maior facilidade na loja física. Além disso, ainda marca sua presença online, uma vez que consumidores conectados à internet tendem a compartilhar informações de onde estão por meio de “check-ins” e comentários em redes sociais.

Outro exemplo pode ser a implementação de câmeras de reconhecimento facial nas entradas das lojas. Essa funcionalidade tem o objetivo de reconhecer se cliente é homem ou mulher. Depois do reconhecimento, o dispositivo oferece à pessoa produtos baseados no gênero e em visitas anteriores.

Para tornar a compra mais interativa e divertida, espelhos virtuais podem escanear o biotipo do comprador, “provar” e combinar roupas e acessórios em questões de segundos. Tudo isso utilizando recursos digitais, isentando o cliente da tarefa de tirar e vestir peças.

Benefícios da Internet das coisas

Segundo o Instituto Gartner, empresa de pesquisa entre as mais respeitadas do mundo, estima-se que em 2020 serão mais de 26 bilhões de produtos inteligentes e conectados em uso.

Com essa previsão, fica claro que não são somente as indústrias e negócios que serão fortemente impactados pela implementação em larga escala de dispositivos conectados à internet.

Os fornecedores de serviços e produtos de IoT, ainda de acordo com o Gartner, devem gerar uma receita superior US$ 300 bilhões até o mesmo ano.

Para as empresas do varejo, são diversos os benefícios que a IoT pode oferecer. Um deles é a oportunidade de monitorar o comportamento do cliente, a fim de entender preferências de acordo com idade, gênero e classe social, por exemplo.

É possível controlar quanto tempo cada cliente passou nas dependências do estabelecimento, acompanhar quais gôndolas e setores foram mais visitados e quantas vezes o mesmo comprador retornou à loja.

A IoT pode ser considerada como uma enorme onda de novas possibilidades e alternativas ao setor varejista. Com sua implementação, pessoas, objetos e locais estarão conectados à internet em tempo real, a todo instante. Os dados provenientes dessa troca de conectividade podem ser o bem mais valioso de um negócio.

Com acesso às informações dos clientes sobre como, onde e por que compram, as lojas podem direcionar melhor seus esforços para se tornarem preferência e referência para os compradores. Logo, fica claro aos varejistas que existe muito retorno a ser obtido com o investimento na inserção da Internet das Coisas no setor.

A Internet das Coisas está revolucionando a maneira como as pessoas e empresas pensam, agem, compram, consomem conteúdo e como se relacionam com a tecnologia. Logo, os varejistas que percebem o impacto que a IoT pode causar e se preparam para a adaptar suas administrações de acordo com essas mudanças, certamente largam na frente da concorrência.

E você, gostou das informações deste post? Aproveite e compartilhe em suas redes sociais essas dicas!

Comentários

inscreva-se

Fique por dentro das últimas notícias e novidades do Grupo FCamara e do nosso time #SANGUELARANJA