Crescimento de carreira: descubra como se destacar na TI

Crescimento de carreira: descubra como se destacar na TI

As redes sociais estão cheias de mensagens inspiradoras que aconselham você a buscar o que ama fazer para, então, focar em novos negócios ou empreender, por exemplo. A tecnologia é a sua área. Não há como pensar em fazer outra coisa da vida. Mas ao planejar seu crescimento de carreira percebe que não está no lugar certo.

Afinal, o que falta para sua trajetória profissional fazer sentido?

Talvez você precise compreender quais são as habilidades técnicas e pessoais que impulsionam a sua carreira na direção de novas oportunidades de crescimento. 

As relações profissionais também são uma troca. Mas de nada adianta você ter muito a oferecer e não perceber que seu potencial é direcionado a ser ainda melhor. Tem cada vez mais valor para os profissionais, poder atuar em uma empresa que se preocupa com o desenvolvimento do seu time, afinal o foco já não está 100% no salário faz um bom tempo.

Agora pense e responda: você acha que combina habilidades técnicas e pessoais de um profissional que ama a tecnologia e está pronto para encontrar a empresa certa?

Se a sua resposta foi sim, confira 5 habilidades técnicas e 6 pessoais que está na hora de você conhecer.

5 habilidades técnicas para crescimento de carreira em TI

#1 Conhecimento das tendências

É você sempre quem traz as novidades para o setor da TI na sua atual empresa. Todos se perguntam como sabe tanto sobre IoT (Internet of Things), Inteligência Artificial (IA) e os outros assuntos que ainda nem chegaram às empresas brasileiras que estão no topo do mercado.

Para você a resposta é muito simples: você simplesmente adora consumir tudo que os principais portais e pesquisas trazem sobre tecnologia.

Quando percebe, já está colocando em prática aquilo que leu e contagiando outros colegas a fazerem melhor. E, de certa forma, eles sempre lhe procuram para tirar alguma dúvida. Você é referência e um grande tradutor do mundo da tecnologia para outros colegas.

#2 Domínio de outros idiomas

Dominar o inglês, por exemplo, é uma grande vantagem. Isso porque você não precisa que os grandes portais traduzam aquela pesquisa do Gartner e façam a leitura por você.

Pelo contrário!

Como domina o inglês, consegue encontrar aquela informação que só o especialista enxerga e consegue agregar valor e contribuir  para a empresa na qual você hoje trabalha.

#3 Análise de dados

Você não é bom somente na análise de cenários a partir das pesquisas que lê. Sabe que todas as empresas hoje dependem de soluções que ajudem a dominar os dados gerados por elas mesmas. Planilhas, por mais inteligentes, não dão conta do Big Data, por isso é preciso  Business Intelligence para se destacar no mercado.

#4 Big Data e suas consequências

Falando em Big Data, esse é outro assunto que você domina. Sabe que não há como um ser humano comum dar sentido à quantidade de dados gerados. Eles são literalmente o universo paralelo do qual tanto se fala na ficção. E isso exerce sobre você um fascínio quase inexplicável.

Você não consegue entender como as pessoas não reconhecem a maravilha que é esse conceito. Mas sabe que é coisa de apaixonado pela tecnologia pensar assim.

#5 Aplicativos e chatbots e a preocupação com projetos de relevância

Para ler o Big Data, os bots surgem como alternativa. Você sabe do que precisa para programar um. Já chegou a propor que a sua empresa atual adote um chatbot para atendimento ou já participou do desenvolvimento de um. O Gartner aponta que até 2020 os aplicativos conversacionais vão interagir mais com seres humanos do que seus próprios cônjuges.

Como você é apaixonado pela tecnologia, se ainda não criou um, já está estudando sobre como criar um chatbot e quais ferramentas são usadas nessa tarefa.  

 

Afinal, a preocupação com projetos de relevância e planejamento não lhe faltam!

O crescimento de carreira em TI e suas 6 habilidade pessoais

Quando você combina as cinco principais competências técnicas às características pessoais que formam um grande profissional, realmente, só lhe falta encontrar uma empresa à altura.

Veja a seguir quais principais características estão na lista de crescimento de carreira em tecnologia.

  1. Criatividade: a criatividade em tecnologia está diretamente ligada à capacidade de solucionar problemas. Pois você sabe que o que mais aparece na jornada de TI é desafio para resolver a baixos custos. Então, haja criatividade para dar conta dos desafios.
  2. Bom relacionamento: tratar bem os colegas, superiores e até mesmo os clientes, que não são bem o seu público de contato diário, é fundamental. As pessoas formam uma rede de relacionamentos e podem levar você à empresa que será sua parceria de crescimento. E, melhor do que isso, sua relação com os colegas podem transformam uma empresa sem cor em um ambiente bacana para se trabalhar.
  3. Habilidades comunicativas: e um bom relacionamento depende de uma boa comunicação. Por isso, para comunicar, é preciso clareza e empatia. Vestir o calçado do outro sempre ajuda a pensar nas palavras certas seja para motivar ou para resolver desafios.
  4.  Proatividade: essa é uma característica pessoal que você já cansou de ouvir falar. Mas quase nunca essa tal iniciativa vem relacionada com o poder de liderar. Acontece que ser proativo faz parte de características de líderes natos. Eles acabam saindo na frente e a opção do restante é segui-los.
  5. Flexibilidade: mesmo que seu trabalho seja dar suporte aos chamados internos, você, conhecendo sobre outras ferramentas, ajudará colegas a resolverem seus desafios individuais. Ser flexível no seu papel ajuda uma personalidade como a sua, sempre em expansão e aprendizado. Seja interdisciplinar sempre!
  6. Visão de negócios: quando você senta na sua cadeira, diante da tela, consegue imaginar o que está além da sua própria sala? Enxerga a TI como um setor estratégico? Então você tem uma visão de negócio apurada. Precisa cada vez mais entender como uma empresa funciona, mesmo que não seja um especialista nos mais variados setores. Apaixone-se cada vez mais pelo modo de funcionamento de uma corporação e estará no caminho certo para fazer  história em qualquer empresa.

Agora que você já viu que é um dos melhores no mercado, que tal encontrar a empresa que vai lhe tornar ainda mais capaz de seguir rumo ao topo da sua carreira? Seja protagonista da sua história!

Saiba que essa empresa pode estar a um clique de distância. Se o seu trabalho não está sendo valorizado. Se o crescimento de carreira não é uma prioridade na sua empresa atual. Se você quer fazer diferente e ir além. Mude! Transforme o seu futuro para melhor. Você sabe que é isso o que merece.

O valor de um profissional interdisciplinar

O valor de um profissional interdisciplinar

Um profissional cria novas maneiras para realizar atividades, uma empresa cresce a base de inovação, desenvolvendo alguma coisa que ainda não exista, criando algo com significado para as pessoas.

Num mercado onde a maioria das empresas deseja inovar e não ser engolida pela transformação digital, é necessário ter pessoas talentosas em seus times, além disso, é necessário pessoas que consigam ver possibilidades além das evidentes no momento, pessoas capazes de quebrar paradigmas.

O engraçado é que, a maioria dos profissionais são formados dentro de um modelo clássico que tem como objetivo o aperfeiçoamento da pessoa dentro da sua função na empresa, em outras palavras, ele aprende e cresce em um único assunto.

A tradicional cultura de profissionais especialistas nas empresas

Quando comecei a trabalhar como designer tive meu primeiro plano de carreira, esses planos são feitos para estabelecer metas e objetivos para um profissional desenvolver sua carreira dentro da empresa.
A maioria das empresas cria o plano de seus funcionários voltados para especialização dele dentro da função que ele exerce no dia a dia da empresa, ou seja, ele se especializa na sua função e nada mais que isso.
Em determinado ponto a empresa vai estar em um cenário onde as suas soluções não são inovadoras, porque os profissionais só vão transitar entre os mesmos caminhos, conhecimentos e técnicas que possuem para superar os obstáculos que venham a surgir.

Comigo não foi diferente, meu primeiro plano de carreira, foi feito visando o aperfeiçoamento de minha técnica e conhecimento nos assuntos que a empresa utilizava em seus projetos e em minha função.
Esse modelo tradicional forma profissionais especialistas em suas funções, algo muito bom por sinal, mas o ponto negativo é que os profissionais conhecem muito em relação a um único tipo assunto e/ou conhecimento e deixam de aprender sobre coisas além da sua função.

No meu caso a experiência foi muito ruim, me especializei na minha função, na tecnologia que usava no dia a dia e não procurei aumentar meu leque de conhecimentos por acreditar que o que eu fazia e conhecia era o suficiente. Até que um dia meu chefe na época me deu um feedback dizendo que não seria bom para mim nem para ele me dar um aumento, sua justificativa era que eu não faria nada além do que eu já realizava na empresa, sendo assim um aumento era injustificável, ele até me aconselhou mudar de emprego para “conhecer coisas novas”.

Realmente, naquele momento eu era um “lutador de um golpe só”, depois desse feedback caiu a ficha e vi que precisava mudar se eu quisesse ir além de onde eu já tinha chegado na minha carreira, precisava aprender coisas novas e aumentar meu campo de atuação.

Não seja um lutador de um golpe só!

profissional de ti

Para mudar meu status eu segui o conselho do meu antigo chefe e mudei de emprego, nesse novo desafio eu entrei em contato com vários conhecimentos diferentes que depois de um período de adaptação eu utilizava no meu dia a dia, aprendi que isso era coisa de profissional interdisciplinar.
Profissionais interdisciplinares tem uma característica em comum, eles conseguem somar conhecimentos de diversas disciplinas e fontes diferentes para criar uma nova solução ou ultrapassar um obstáculo.

Mas o que isso quer dizer na prática?

Para explicar isso, peço que você imagine o cenário de uma startup iniciando sua jornada, geralmente essas empresas possuem um número pequeno de colaboradores, e por sua vez estes colaboradores são responsáveis por vários assuntos na empresa. Sendo assim, o profissional vai conhecendo um pouco da função do outro, seus conhecimentos não ficam restritos apenas aquilo que ele foi contratado para executar, ele flutua sobre uma gama de assuntos.

Em certo ponto, o profissional se vê em frente a um obstáculo em uma de suas atividades que requerem que ele tome uma atitude diferente das tomadas anteriormente, ele se vê sem outra opção, senão imaginar uma nova maneira para solucionar determinada questão. Ele une pontos dos diversos assuntos que aprendeu e cria uma solução para o problema que precisa resolver. A sacada é perceber que ele só conseguiu resolver esse problema porque flutua sobre outras áreas além da sua e tem conhecimentos além dos necessários para executar sua função na empresa, caso contrário, ele só seria capaz de propor soluções dentro da “mesmice”, seria mais um “lutador de um golpe só”. O novo nesse aspecto, é o resultado da soma de conhecimentos variados na criação de uma solução.

Profissionais multidisciplinares VS profissionais interdisciplinares

Para explicarmos a diferença entre profissionais multidisciplinares e interdisciplinares temos que entender primeiro a diferença entre esses conhecimentos.

Conhecimento multidisciplinar:

Temos como exemplo o conhecimento que obtemos na escola, existem várias matérias diferentes que não se relacionam em um objetivo em comum.

Conhecimento interdisciplinar:

É o conhecimento sobre diversas disciplinas onde há a relação entre eles na busca por solucionar um problema.

Exemplificando a diferença entre eles, peço novamente que imagine o cenário do profissional de uma startup descrito acima. No momento que um novo obstáculo surgisse, seria simples identificar a diferença entre um profissional multidisciplinar e um interdisciplinar. O profissional multidisciplinar usaria uma das disciplinas que domina para ultrapassar o novo obstáculo, ele não uniria conhecimentos de disciplinas diferentes, no final das contas ele só estaria usando uma abordagem diferente mas já conhecida para resolver seu problema. Já o profissional interdisciplinar, realizaria a soma de seus conhecimentos em disciplinas diferentes para criar uma solução que fosse adequada para resolver seu problema.

Em resumo, o profissional multidisciplinar não relaciona seus conhecimentos, para ele é mais uma questão de possuir um conhecimento eclético, um conhecimento linear que não é relacionado a seus outros conhecimentos. Já o profissional interdisciplinar, soma seus conhecimentos sobre diversos assuntos e disciplinas para criar algo que tenha valor.

As vantagens de um profissional interdisciplinar

A experiência do usuário é um dos pilares atrelados ao sucesso de grandes produtos e serviços, estes, por sua vez, tem como missão criar novas formas de solucionar problemas enfrentados por seus clientes, para assim, estabelecerem-se no mercado. Para isso, as empresas precisam que as pessoas envolvidas nesses processos possuam um conhecimento mais abrangente do todo.

No HashTrack optamos pela quebra do modelo tradicional de formação e cultura, nós temos times pequenos de pessoas talentosas, ao invés de ter times grandes e burocráticos para atuar em nossas demandas.
Para estes times serem formados, é necessário que seus integrantes consigam desempenhar mais de uma função no projeto, e isto só é possível quando os mesmos são profissionais interdisciplinares.

Falando novamente sobre a experiência no HashTrack, o time é composto por oito profissionais interdisciplinares, sendo responsáveis pelas áreas de vendas, marketing, produto e design, onde no meu caso, atuo desde a concepção do layout do produto até as estratégias de marketing e vendas.
Quer dizer que todos tem a mesma função em todas as áreas? Não, quer dizer que possuímos conhecimentos de um todo.

Profissionais interdisciplinares geralmente possuem certas características em comum, são elas:
  • São curiosos: possuem desejo de aprender sobre coisas diversas.
  • São proativos: procuram se antecipar em relação a necessidades e problemas que possam vir a surgir.
  • São ambiciosos: são aqueles que querem fazer mais e melhor e sabem que ser um profissional interdisciplinar pode ajudar eles nisso.
  • São autodidatas: são aqueles que aprendem sozinhos por meio da realização de uma atividade.

Conclusão

Ser um profissional interdisciplinar me deu uma vantagem competitiva interessante em comparação a outros profissionais da área, a capacidade de criar soluções com a soma de diversos conhecimentos e disciplinas, eleva a minha performance.

Para o time, é extremamente importante contar com profissionais interdisciplinares, um time assim é capaz de muitas coisas, entre elas, ter um poder de reação rápido e inovador à novos obstáculos.

Para a empresa, um time interdisciplinar agrega valor ao produto ou serviço que ela produz, assim é de de interesse da mesma, valorizar profissionais deste tipo e propor um ambiente que ajude em sua formação.
Portanto, fica claro a importância de ser um profissional interdisciplinar caso você queira destacar e obter melhores resultados para você o e sua empresa.

Se você não se considera um profissional interdisciplinar, tente ser mais curioso, proativo, ambicioso e autodidata, engaje-se além da sua zona de conforto! Avalie se seus resultados e performance irão aumentar, acredito que terá uma surpresa positiva!

Eu me chamo Albert Cavalcante, sou Head of Design aqui na FCamara e espero que você tenha gostado deste post.

Até a próxima.

5 dicas incríveis para se destacar no LinkedIn

5 dicas incríveis para se destacar no LinkedIn

Já parou para pensar em como se destacar em meio à multidão? Cada vez mais empresas estão optando pela descrição profissional no LinkedIn ao tradicional currículo na hora de selecionar candidatos. Neste post, vamos trazer cinco dicas básicas e infalíveis de como se diferenciar na rede, atrair os olhares dos recrutadores e conseguir o emprego que você almeja. Por onde começar?

  1. Sorria, você está sendo visto (ou pelo menos é o que deseja, certo?)

A foto de perfil no LinkedIn é na maioria das vezes a primeira coisa que as outras pessoas veem e impacta muito na primeira impressão. Quando vamos a um baile de gala, nos vestimos e nos comportamos de acordo com o ambiente e contexto, correto? Funciona assim para tudo na vida. Como o LinkedIn é uma rede profissional, ela pede uma foto mais sóbria, não necessariamente formal, mas é bom evitar excessos, como foto de baladas por exemplo. Foque na mensagem que deseja transmitir com a sua imagem.

  1. Adicione SIM pessoas que você não conhece!

Diferente de outras redes onde nossas conexões tem o nome de “amigos”, no LinkedIn são chamadas de “contatos” justamente por não se limitar ao ciclo de pessoas que você já conhece. Muitas pessoas não gostam de adicionar desconhecidos e por isso perdem boas oportunidades.

Quanto mais pessoas você tem na sua rede, mais o seu perfil é valorizado pelos algoritmos do LinkedIn e mais recrutadores tem acesso ao seu currículo e publicações.  O LinkedIn faz uma classificação dos seus contatos que são de primeiro, segundo e terceiro grau. Os recrutadores que não possuem conta premium (paga), possuem número de acesso à perfis de candidatos limitado. Porém, isso não se aplica quando os contatos são de primeiro grau. Ter recrutadores como contato de primeiro grau faz com que você seja visto e contatado!

Por tudo isso é super importante aceitar pessoas que você não conhece. Quanto maior a sua rede profissional, maior a chance de se recolocar e conseguir novas oportunidades.

  1. Preencha tudo como se cada informação valesse ouro, por que elas realmente valem!

Se você tem um objetivo com a rede, use as informações ao seu favor. É fundamental nomear as empresas que já trabalhou, os cargos que já ocupou, as atividades que já desenvolveu e, especialmente para profissionais de TI, descrever as tecnologias com as quais possui experiência.

Manter informações atualizadas é tão importante quanto colocá-las no perfil. Diariamente milhares de recrutadores podem acessar a sua rede e ele precisa estar alinhado para que você não perca nenhuma oportunidade. Seu e-mail e telefone também precisam estar no perfil, é a forma mais rápida para que os recrutadores consigam entrar em contato com você.

O InMail do próprio LinkedIn também é uma forma de contato, principalmente quando o e-mail ou telefone não estão localizados no perfil. Lembre-se de acompanhar a rede com a maior frequência que puder, respondendo sempre às mensagens. Os processos seletivos são dinâmicos e pode ser que você desperdice uma oportunidade por um desencontro que pode ser evitado.

  1. LinkedIn definitivamente não é Tinder ou Happen

Tem sido cada vez mais comum relatos de recrutadores sobre abordagens íntimas na rede. O LinkedIn é uma rede de relacionamento unicamente profissional e abordagens pessoais devem ser feitas em ambiente próprios para isso. Além de ser deselegante, conversas impróprias minam sua reputação na rede e afastam para bem longe as oportunidades profissionais. O único match que deve acontecer na rede é o do profissional com a vaga de emprego desejada.

  1. Seja claro e objetivo

Um recrutador vê em média 200 currículos por dia, portanto, a forma como estão organizadas as informações no seu perfil é decisiva para que um recrutador te selecione.  Seu currículo precisa ser claro, objetivo, sem dar muitas voltas. Informações em tópicos é a melhor forma de descrever sua experiência profissional. O texto corrido é mais cansativo e dificulta para que o recrutador encontre rápido as informações que ele precisa. Números são extremamente importantes para que o recrutador compreenda de forma precisa os resultados que você já alcançou na sua vida profissional.

Para profissionais de TI, pontue também as tecnologias com as quais já trabalhou, além de descrever os projetos que participou, em quanto tempo executou suas atividades e quantas pessoas tinham na equipe, tudo isso da forma mais concisa possível.

Se coloque no lugar do recrutador, ele precisa olhar para seu currículo e encontrar as informações que precisa com rapidez e facilidade. Uma questão interessante são as recomendações no LinkedIn, elas não são decisivas, mas é importante ter referências das pessoas que já trabalharam com você e conhecem seu lado profissional.

DICA EXTRA: quando seu cargo não corresponder às atividades que exerce, alinhe as expectativas na descrição. Sempre atenda à realidade para não perder nem o seu tempo, nem o do recrutador.

Essas cinco dicas são bem fáceis de colocar em prática e com certeza trará benefícios tanto para você quanto para recrutadores em busca de talentos. Já pensou em trabalhar em uma das melhores empresas de TI em São Paulo? Estamos com muitas vagas abertas esperando por talentos como você! Vem trabalhar com a gente!

Conheça os 4 maiores desafios do empreendedorismo digital hoje

Conheça os 4 maiores desafios do empreendedorismo digital hoje

Investir tempo e dinheiro no empreendedorismo digital hoje não é uma tarefa fácil. Mas para os empreendedores que sabem inovar, conseguem ser competitivos perante a concorrência e utilizam as ferramentas adequadas, o caminho até o sucesso pode ganhar novos atalhos.

Neste artigo, falaremos sobre os maiores desafios que os empreendedores digitais enfrentam no dia a dia e como vencê-los. Acompanhe a leitura e prepare-se para vencer os obstáculos!

1. Dificuldade de inovar: qual a realidade da inovação no empreendedorismo digital hoje?

Estudos apontam que apenas 16.8% dos empreendedores brasileiros possuem ideias realmente inovadoras e disruptivas frente ao que já existe no mercado.

Quando falamos em empreendedorismo digital, esses números são maiores, uma vez que a web passa uma falsa sensação de que criar o próprio negócio online pode ser mais fácil.

Mas a realidade é que os desafios para criar um negócio virtual são tão grandes quanto aqueles que encontramos no mundo físico. Por isso é importante o empreendedor ficar atentos às dificuldades do caminho e criar soluções adequadas para o seu segmento de atuação.

2. Vencer a concorrência: por que é tão importante ser inovador e superar os concorrentes?

No contexto apontado no tópico anterior, muitas pessoas estão investindo em empresas digitais: como a venda de produtos e serviços em lojas virtuais, por exemplo.

Essa migração dos investimentos do mundo físico para o espaço virtual tende a criar um cenário de saturação e uma forte concorrência.

E isso não significa que o empreendedor deve desistir de seus sonhos, mas sim que ele precisa ser inovador e apresentar propostas diferenciadas em relação às outras empresas similares na internet, e assim ele vencerá os seus concorrentes. Para isso, conheça bem o seu mercado e público para identificar as melhores oportunidades para se destacar!

3. Ter bons relacionamentos: qual a importância de ter um relacionamento diferenciado?

Pessoas são a chave do negócio: não se alcança o sucesso sem contar com pessoas que possuam perfis e valores diferenciados no seu empreendimento digital.

Métodos, ferramentas, ideias e tecnologia são importantes para todo negócio, mas a base de tudo são as pessoas. Nesse sentido, o grande desafio é recrutar bons profissionais que estejam engajados e alinhados à cultura da sua empresa.

Quando o empreendedor consegue montar o time ideal, ter um ótimo relacionamento com eles é fundamental para que tudo flua bem. E, claro, é imprescindível que a equipe saiba operar e analisar as tecnologias disponíveis em conjunto.

Além disso, o bom relacionamento externo diferenciado com pessoas importantes para o seu empreendimento digital e com os clientes podem criar grandes oportunidades de negócios.

4. Implementar tecnologias: por que é fundamental reconhecer e implementar as tecnologias corretas para aumentar a produtividade de sua empresa?

Muitos empreendedores ainda encontram obstáculos para implementar a tecnologia em seu negócio. Mas é fundamental reconhecer que as tecnologias servem para apoiá-lo a criar atalhos para chegar aos seus objetivos.

Por meio das tecnologias é possível otimizar o tempo e utilizar sistemas de automação que vão gerar maior eficiência na implantação das estratégias e na análise dos dados obtidos.

Utilizar soluções tecnológicas na sua empresa é fundamental para melhorar a performance de suas operações, trazer maior produtividade e aumentar a agilidade dos processos. E todas essas vantagens são fundamentais para o empreendedor digital alcançar o sucesso do seu negócio!

Gostou deste artigo sobre os obstáculos para o empreendedorismo digital hoje? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de muitos outros conteúdos para alavancar sua jornada empreendedora!

Profissionais de TI: melhores práticas para recrutamento de talentos

Profissionais de TI: melhores práticas para recrutamento de talentos

Recrutar profissionais é uma tarefa complexa. Principalmente para uma área tão específica e especializada como a de tecnologia da informação (TI).

A situação se torna mais grave quando, além de precisar identificar profissionais de TI adequados de maneira assertiva, é preciso fazê-lo no menor tempo possível.

Esses profissionais são bastante valorizados e, normalmente, são considerados como investimento. Sua contratação requer conhecimento específico da área, já que se trata de cargos que demandam boa dose de cautela, sigilo e confidencialidade.

O ideal, então, é que a triagem inicial selecione para entrevista apenas profissionais de TI qualificados e que tenham as competências necessárias às posições oferecidas.

Esse, aliás, é o grande problema: a quantidade de profissionais capacitados não tem acompanhado o desenvolvimento do mercado.

Processo de recrutamento

Até 2020, segundo estimativas da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), serão necessários 750 mil novos profissionais de TI no mercado. Como, porém, identificar o talento ideal com o perfil técnico e comportamental exigido para o cargo?

É muito importante que o recrutamento e a seleção sejam feitos por um recrutador que esteja seguro do perfil do talento a ser contratado, para que o processo seletivo seja mais assertivo e as entrevistas, mais produtivas.

Dependendo da posição, técnicas de avaliação das competências ajudam a descobrir o melhor do candidato.

Para os profissionais de recursos humanos (RH), existem cursos que ajudam a desenvolver um processo que identifique de forma eficaz a competência técnica dos candidatos — abrangendo desde os conceitos tecnológicos até as certificações, passando pelas responsabilidades de cada função.

Relacionamento interpessoal

Além de habilidades técnicas, porém, o colaborador deve ser avaliado por seu comportamento, pois é isso que vai ter impacto no cotidiano da empresa — além de complementar as habilidades técnicas.

Como tecnologia é uma área que demanda inovação e conhecimentos técnicos, o profissional deve ser versátil, adaptável e estar preparado para assumir novas tarefas e projetos.

É importante atentar-se aos prazos, pois a demora no feedback aos candidatos pode causar a perda de bons profissionais.

Se não encontrar alguém 100% compatível com as exigências da vaga, existe a opção de treinar aquele que tiver o perfil mais próximo do desejado — isso ainda faz o profissional se sentir motivado e agrega valor para ambos.

Indicação de profissionais de TI

Uma prática interessante são os programas de recomendação. Os próprios colaboradores podem indicar colegas e amigos que se encaixam nos perfis procurados.

Normalmente, se o contratado passa do período de experiência, o funcionário que o indicou recebe uma bonificação — e, assim, todos ganham com isso.

Redes sociais

Uma pesquisa do site americano CareerBuilder revela que 76% dos recrutadores buscam profissionais na internet. E mais: 35% deles desistem de entrevistar um candidato quando não encontram informações sobre ele online.

Cada vez mais as empresas procuram talentos nas redes sociais. A mesma pesquisa indica que 52% dos recrutadores (para diversas áreas) usam as redes sociais para se informar sobre os candidatos e é provável que essa prática se torne cada vez mais comum.

Sinal de alerta

Isso pode ser até um sinal de alerta: a pesquisa mostra que 48% dos gerentes de RH afirmam que já deixaram de contratar candidatos por terem visto conteúdos impróprios (como fotos provocativas ou inapropriadas e comentários discriminatórios) em suas páginas pessoais.

Por outro lado, 32% contam que a consulta às redes sociais os fez se interessarem por profissionais. Entre os principais pontos positivos estão: experiência, perfil adequado à cultura da organização e boas habilidades de comunicação.

Gostou de conhecer as melhores práticas para a contratação de profissionais de TI? Então baixe o nosso e-book “High Performance Team: guia das equipes mais produtivas e engajadas”!

Entenda o que é e como funciona o intraempreendedorismo

Entenda o que é e como funciona o intraempreendedorismo

Empreender é sinônimo de realizar. É algo que está, portanto, em todos os lugares. Todo empreendimento de sucesso tem uma boa dose de empreendedorismo — não apenas a óbvia, do dono ou do fundador, mas a vinda de seus funcionários.

O que é intraempreendedorismo?

Essa atitude empreendedora dos colaboradores é denominada de intraempreendedorismo. Ela ajuda a trazer valor à organização, levando-a a novos negócios e à inovação. Assim, melhora o desenvolvimento de novos produtos, serviços, tecnologias, técnicas administrativas, estratégias e posturas competitivas.

Profissionais intraempreendedores têm boa capacidade de análise de cenários, criação de ideias, predisposição para a inovação e busca de novas oportunidades para a organização. Eles entendem os processos da empresa e conhecem as necessidades do mercado. Assim, identificam carências antes mesmo de elas surgirem.

Foco na inovação

Sempre que um funcionário age de forma inovadora, para fazer mudanças e aperfeiçoamentos, está praticando o intraempreendedorismo. Esse comportamento ajuda as empresas a adquirirem vantagem competitiva no mercado.

Nem todos os colaboradores, porém, têm esse perfil. Por esse motivo, o intraempreendedor é um recurso humano muito importante. É, antes de tudo, um protagonista: além de ser empreendedor, tem capacidade de tomar atitudes, assumir lideranças e responsabilidades.

Um intraempreendedor não é somente mais um funcionário. Ele tenta o diferente, inova (em ideias, processos, ferramentas e/ou serviços) e constrói sua própria história. Quando tenta algo que não funciona, tira um aprendizado da situação. É essencial, portanto, que a empresa veja os erros como parte do processo, não como fracasso.

Esse profissional, muito valorizado, é cada vez mais procurado para ocupar espaços importantes em companhias de todo o mundo. A busca constante pela inovação e pela diferenciação são as chaves para que ele agregue valor às equipes em que trabalha.

Desenvolvimento de acordo com a cultura organizacional

O desenvolvimento interno dos colaboradores, com incentivo aos benefícios gerados por ele, e a orientação para resultados devem ser estimulados. A empresa deve criar condições para que o intraempreendedorismo se desenvolva naturalmente.

Isso, porém, não é uma tarefa fácil. É a cultura organizacional da empresa que vai motivá-los e ajudá-los a desenvolver seu intraempreendedorismo. Para isso, é preciso abrir mão da rigidez e do conservadorismo nos processos de tomada de decisão.

Essa motivação interna faz os funcionários se sentirem à vontade para desenvolver as habilidades necessárias ao intraempreendedor. Ela pode vir por meio de programas de coaching ou mentoria para acompanhar colaboradores de destaque.

Capacidade de propor novas ideias

Depois de um certo tempo de atividade, uma empresa pode perder seu potencial empreendedor. Os funcionários intraempreendedores inovam, recriam e reinventam processos e técnicas. São, portanto, indispensáveis para empresas já estabelecidas, pois reelaboram a cultura empreendedora interna.

Por isso, é comum que as organizações busquem colaboradores intraempreendedores dedicados e que trabalhem como sócios do negócio. Isso torna a empresa mais competitiva em médio e longo prazo.

Os gestores devem compreender que esses profissionais provavelmente serão melhores que eles. Os intraempreendedores são um ativo de luxo para a empresa. Não se deve enxergá-los como concorrentes, mas como parceiros.

Senso criativo e ousado

Esse profissional é incansável na busca pelo novo, sem medo dos riscos, com ousadia e criatividade. Seu objetivo é a melhora contínua e sua inquietação é característica inerente. Isso faz com que ele descubra oportunidades ocultas.

Apesar de seu espírito empreendedor, esse profissional não tem interesse de abrir um negócio. Ele prefere colaborar com a empresa em que está. Comprometido com o trabalho, ele tem uma conexão com a companhia: conhece a cultura organizacional e trabalha para que seu sucesso seja o sucesso de sua equipe.

Inquieto e inconformado, o intraempreendedor busca a melhoria contínua bem como capacitação para superar os desafios. Além de ter paixão pelo que faz, o faz com qualidade enquanto desenvolve a cultura de dono e persegue o resultado.

Você consegue identificar o intraempreendedorismo na sua empresa? Venha saber então como torná-la mais competitiva!