As crianças podem nos ensinar muito do que acabamos perdendo com o tempo, com medos e com influências sociais, sem perceber. Costumam ser mais confiantes, corajosas e aproveitar melhor a vida. Veja algumas lições que ainda podemos aprender com elas:

  1. Arriscar: Crianças se sentem instigadas por novas experiências. Elas não têm medo das consequências, e assim, tornam-se capazes de sempre tentar algo novo. Ao crescer, muitas vezes, focamos no medo e perdemos a habilidade de tentar, porque nos policiamos sobre os riscos. Adultos tendem a ter medo do desconhecido e preferem ficar na sua zona de conforto, raramente se aventurando e experimentando coisas novas sem medo.
  2. Questionar: Crianças perguntam sobre tudo; por que tomamos cada atitude e por que fazemos as coisas do jeito que fazemos, rejeitam práticas obsoletas e procuram sempre as melhores soluções para os problemas. Estão sempre ávidas por satisfazerem a enorme curiosidade que possuem. Nos questionar é saudável e fazer perguntas por não saber alguma coisa não é nenhum crime, pelo contrário. Deixamos de aprender muito por esse desnecessário medo do julgamento alheio e deixamos de evoluir ao parar de questionar nossas ações.
  3. Não limitar os sonhos: Crianças acreditam que podem tudo: voar, fazer o impossível e mudar o mundo. E não deixam de acreditar depois do primeiro fracasso. Colocar limites na própria vida é coisa de adultos. Quando crescemos, nossa imaginação dá lugar a sonhos mais reais, porém a nossa capacidade de acreditar é reduzida, assim como nossa persistência. Colocamos empecilhos nos nossos planos antes mesmo de tentar e acabamos por não realizar muitos deles.
  4. Improvisar: Improvisar: Se uma criança não tem um brinquedo, ela usa a imaginação e cria um. Inventa algo para fazer mesmo em dia de chuva, mesmo na casa da avó, pega um lençol e faz uma cabaninha, desenha a amarelinha no chão e vai pular. Já muitos adultos colocam pedras no caminho e se paralisam quando algo não sai como planejado, são pouco adaptáveis e se revoltam sem buscar soluções acessíveis.
  5. Não desistir fácil: Quando você vê uma criança que está aprendendo a andar, após tropeçar e cair, o normal é que ela se levante, muitas vezes sozinha, e volte a andar. Esse ciclo se repete inúmeras vezes até que ela se acostume a caminhar e consiga manter o equilíbrio. E o mais importante, não se envergonham de cair. Essa queda é o erro, e com ele que devemos aprender.
  6. Ser espontâneo: A maioria das crianças não se preocupa com a imagem que estão transmitindo para a sociedade. À medida que crescemos, as convenções sociais e o medo do que pensarão de nós nos fazem perder a naturalidade. As crianças não se deixam amedrontar pela vergonha e vivem de forma natural, sincera e espontânea.
  7. Aproveitar o momento: Crianças não guardam mágoas e não se agarram às coisas ruins que acontecem. É fácil ver como conseguem se divertir facilmente e viver a vida de uma forma muito mais leve. Nós sentimos tanta falta da infância porque era nessa época que sabíamos aproveitar a vida da melhor forma, coisa que vamos desaprendendo à medida em que amadurecemos.

Comentários